Francisco Mignone: Piano Music

Lançado 2007 | Lorelt

Tracklist

Tempo CD: 76 minutos

[1] Congada(3:08)
[2]-[7] Seis Prelúdios
[2] I-Andantino(1:31)
[3] II-Allegro(0:55)
[4] III-Allegro(1:03)
[5] IV-Calmo e sereno(2:02)
[6] V-Moderato(2:48)
[7] VI-Caiçaras: Solenne(2:59)
[8] Valsa de Esquina No.8(2:38)
[9] Valsa de Esquina No.12(4:19)
[10] Lenda Sertaneja No.2(6:20)
[11] Serenata Humoristica(2:10)
[12] Dança do Botocudo(3:04)
[13] No Fundo do meu Quintal(1:32)
[14] Quando eu era pequenino(1:53)
[15]-[19] Cinco peças para piano(dedicadas a Clélia Iruzun)
[15] I- A orfãzinha(2:29)
[16] II-Formiguinhas trabalhando(0:54)
[17] III-A rã e o sapo(1:49)

[18] IV-Hoje não tem aula(1:11)
[19] V-O gato e o rato(0:46)
[20] Valsa-Choro No.11(1:17)
[21] Valsa-Choro No.12(2:29)
[22]-{23] Sonatina No.4
[22] I-Allegretto non troppo(3:44)
[23] II-Allegro con umore(2:00)
[24]-[29] Estudos Transcedentais
[24] I-Velho Tema(2:04)
[25] II-A morte de Anhanguera(2:58)
[26] III-A voz da floresta(3:04)
[27] IV-No Coqueiral(2:25)
[28] V-A menina dos cabelos cor de graúna(2:03)
[29] VI-Saci(1:14)
[30] Valsa Brasileira No.3(3:01)
[31] Valsa Brasileira No.24(2:28)
[32] Cateretê(2:10)
[33] Cucumbizinho(1:55)

CRÍTICAS

Clique nas abas para ver as críticas sobre o CD

“ O resultado é um fino legado, belamente apresentado aqui por Iruzun.”
Gramophone, November 2007.

“A marca inconfundível de Mignone no mundo, origina-se – tal como se apresenta – particularmente advinda de suas obras orquestrais, mas neste CD com suas composições para piano são, em especial, surpreendentemente uma revelação…Tudo isso é convincentemente absorvido por Iruzun, resultando numa explosão de energia”.
4* Review- Robert Maycock, BBC Music Magazine, Setembro 2007.

“Iruzun apresenta a obra desse compositor brasileiro com brilhante profusão.”
Classic FM Magazine, Setembro 2007.

A pianista brasileira radicada em Londres é uma artista de recursos amplos e fina sensibilidade… Em seu magistral domínio técnico e expressivo, Clélia aborda as Valsas com uma arte inocente e límpida… Clélia Iruzun dá mostra de uma variedade de recursos e um senso de adequação estilística que honram o compositor e deleitam a cada momento.”
Clovis Marques, Opinião e Notícia, 16/7/2007.

“Por todo o CD Clélia Iruzun surge como a pianista brilhante que ela é.”
Luis Paulo Horta, O GLOBO, Rio de Janeiro, 16/7/2007.

“É fácil transitar entre o clássico e o popular e não agradar a qualquer público. Difícil é conquistar ambos, como faz Clélia Iruzun nas 33 faixas de “Francisco Mignone Piano Music”.
Eduardo Fradkin, O GLOBO, Rio de Janeiro, 19/2/08.

“Eu desconhecia as obras de Francisco Mignone até então, mas descobrí-las foi para mim uma experiência muito gratificante. Elas recebem de Clelia Iruzun uma interpretação totalmente apaixonada. As que mais me impressionaram foram as valsas com suas maravilhosas e cativantes melodias.” 
International Record Review, October 2007.

“Clélia é excelente pianista, com um particular: o próprio Mignone encantou-se ao ouvi-la, menina, em 1976, e dedicou-lhe Cinco Peças para Piano, talvez a música mais interessante do CD. A marca de Clélia é a fluência flexível e o sóbrio bom gosto.”
Fabio Costa, CARTA CAPITAL, Setembro 2007.

“Clélia Iruzun tem uma compreensão profunda do estilo afro-brasileiro – único e sofisticado – de Mignone. E essas interpretações situam-se extremamente próximas às do próprio compositor. Esse tipo de música prende nossa atenção como se o compositor nos hipnotizasse com sua magia, com a qual essa pianista maravilhosa está em perfeita sintonia .”
Ray Picot, ILAMS Magazine, Setembro 2007

A ascensão artística de Clélia Iruzun já de há algum tempo a fez engastada na constelação mundial dos mais interessantes intérpretes pianísticos… Indispensável registrar na carreira de Clélia Iruzun seu inconsútil apego à obra do nosso grande compositor Francisco Mignone. Este, desde que a ouviu, tornou-se um mentor especial e até lhe dedicou uma Suite. Ao longo de sua vida, o mestre nunca cessou de admirar e aplaudir esta brasileira… Só para concluir, Clélia Iruzun tocas-as todas de maneira admirável. Verdadeiramente estelar.”
Carlos Dantas, Tribuna da Imprensa, Outubro 2007.

Foi curioso poder comparar seus “fortíssimos” na Dança do Botocudo, faixa 12, com os mesmos “ff” da pianista argentina Marta Argerich (em outro CD) tocando Robert Schumann… Por isso as salas de concerto do Canadá, Estados Unidos, Espanha estão sempre de portas abertas para seu vigor no fraseado vibrante e o respeito aos pianíssimos (“pp”) solenes. Agora mesmo, ouvindo seu novo CD, me veio à mente o seu esforço artístico hercúleo de fidelíssima intérprete autorizada.
Ney Arruda-Especial para o Diário de Cuiabá

ONDE COMPRAR & OUVIR

Lojas e plataformas de streaming onde o cd está disponivel